Cascas do tempo

Era tarde demais. Não era mais possível. Apenas o chora fazia sinal de algum sentimento escondido na mais profunda camada de sua desesperançosa alma. O sítio em que vivia, apenas havia um animal, seu pobre corpo deitado na cama insólita, entre um trago e uma pele cortada pela navalha de seu dia a dia; choros … Continue lendo Cascas do tempo

Para conhecer-me

É muito fácil conhecer-me, pois eu deixo no caminho ou por onde passo quem sou. Não sou um amante da vida, tampouco um poeta da morte. Meus erros são pessoais e fizeram eu cair, crescer e evoluir. Ao olhar fixamente em meus olhos verá alguém que cansou, no entanto ao ouvir o relógio bater, levantou-se. … Continue lendo Para conhecer-me

A janela, o lugar e o menino

Manhã linda, sol quente que penetra calmamente em nossas peles. Crianças brincando, vejo rodas e sorrisos tímidos e expressivos. Mas por que um menino olhava tudo o que acontecia na janela? Em uma casa alta, provavelmente uns 5 andares, ele olhava o insólito mundo onde aquelas crianças divertiam-se. Tudo  refletia ser escuridão, culpa e choro … Continue lendo A janela, o lugar e o menino