Cortastes minhas asas, amigo

Não chorei ao nascer Tampouco cairá gotas ao morrer Costurei minha alma na carne Carne suicida, carne cética Liguei aos céus, pedindo asilo Recebi tonturas e ecos do destino Eu fui apedrejado pelo olhar do forasteiro Dizia ser amigo, apunhalou-me sem cessar Direi poesias ao céus, como forma de luta Direi palavras na terra, achando … Continue lendo Cortastes minhas asas, amigo