As teias

O coração também cria teias,
Também chora e sofre,
Também morre.

Nasceu junto com a gente,
Viveu nossos medos,
Aprendeu nossas dores.

Saudade da sua inocência,
Pensou que nós iríamos protegê-lo —
Pois o único problema que possuía,
Era quando corríamos sem ligar para
Seus acelerados batimentos.

Crescemos, vivemos dores,
Perdemos amores;
Não conseguimos protegê-lo de nossos egos, de nossos medos e ansiedade.

Aprendemos a odiar,
A invejar, e tudo isso
Ele tem que suportar.

Criou teias, bloqueios,
Revoltas e desesperanças.

O coração que corria,
Ficou para trás,
O coração que batia,
Pulsa lentamente.

Hoje, peço desculpas
Por ter deixado-lhe para trás.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s