Autoanálise|O que é pior: viver ou existir?

Uma coisa é indubitável: todos que irão ler este texto são organismos vivos, nesta condição, existem ou aproveitam a vida apesar de suas dores. Uma série de causas e circunstâncias nos tornam humanos, como amar, odiar, errar, raciocinar e buscar entender o sentido da própria existência.

Cada pessoa possuirá uma lógica da vida, sendo assim, nem todas os conceitos de outros servirão a ela.

Viver é existir, nem sempre existir será viver. O lápis existe, mas apenas terá função na mão de outrem; eu existo, porém deixo de viver quando o caminho mostra-se tenebroso ou mau. Nós a todo instante portamos alguma função na sociedade, para isso, não precisamos de termos atributos além de existir e pensar, fazendo-nos trabalhar de fábricas a hospitais. Não há necessidade de sabermos quem somos para desenvolver certos trabalhos, no entanto, se autoconhecer nos trará um compreendimento da vida, possibilitando uma melhor existência, com isso, termos a noção do que queremos trabalhar ou viver.

Há inúmeras maneiras de se viver e haverá diferenças na percepção de vida de cada pessoa. Entretanto, existem objetivos que compartilhamos com todos, seja em menor grau ou não.

Por exemplo:

alguns creem em Deus, outros em deuses, uns em nada, alguns na ciência. Há uma certa fé em crer na ciência, até os ateus terão fé em algo; não considere que a fé esteja presa na religião.

Amor O amor faz parte da vida. Uns amam ao próximo, outros a si. Porém atente-se para amar o outro de forma equilibrada e a você também. Há pessoas que se sacrificam exageradamente para atender aos outros, e aqueles que desenvolvem o narcisismo com sua imagem.

Ódio, raiva e rancorNos dias de hoje quase impossível não sentir tais sentimentos. O importante é conhecer o que você odeia e tentar resolver de alguma maneira. Cuidado para não odiar demais certos políticos, lembre-se: eles também são humanos, independentes de seus preconceitos, práticas e visões.

ExistênciaExistimos, logo temos certa responsabilidade por sabermos disso. Vamos fazer de nossa existência a melhor possível. Ela é breve, mas preciosa.

Essência Alguns não acreditam em essência, como não lembrar da notória frase de Sartre: “A existência precede a essência”. Porém digo a junção de nossas características, das melhores a piores. Quando conhecemos certas tendências que dispomos tratá-las são mais fáceis.

Nem sempre minhas interpretações irão estar corretas, todavia elas apresentarão pequenos detalhes da realidade naquele momento. Por isso, você tem que primeiramente conhecer-se e buscar interpretações à sua vida. Buscar resolver erros, criar visões que beneficiem a você e aos outros, não deixar sentimentos negativos lhe dominarem, mas entendê-los e resolvê-los. A vida é uma busca, fique ciente. Há sempre o que buscar, porém também aceitar o que às vezes dispomos e não podemos mudar.

Resumindo…

O pior é viver não conhecendo-se ou vivendo rotulando-se a partir de visões que adquirimos ao longo da vida; com isso, nem sempre a interpretação de quem somos estará correta; logo, sempre estamos na conjuntura do processo de crescimento. Na vida, estaremos vivendo ou existindo, portanto também poderemos evoluir, seja existindo ou vivendo.

2 comentários em “Autoanálise|O que é pior: viver ou existir?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s