Credibilidade artística e o olho da polarização

Os artistas ao longo da história desempenharam papéis importantes na cultura e formação intelectual de sociedades modernas. Mas o que esperar quando emprestam suas imagens no meio de uma polarização política?

Não é novidade que o Brasil está em uma crise profunda, sendo no Executivo, Legislativo e Judiciário, ou na ética que os brasileiros aprendem com muita contrariedade.

Atualmente, alguns artistas estão nos bastidores ao lado de grandes políticos, emprestando- lhes suas imagens que construíram arduamente  em um país, onde seus talentos não são devidamente remunerados, e seus destinos são marcados pela incerteza.

O movimento 342 Artes criado em 2017, é um exemplo da união artística no país, o site 342artes, explica o movimento criado e seu objetivo:

   342 Artes surgiu a partir da reunião de cerca de 100 artistas na casa da produtora Paula Lavigne. Inicialmente, o objetivo do grupo seria processar políticos e autores de difamação na Internet. Em paralelo, foi iniciada a campanha 342 artes de repercussão em sites e redes sociais.

 

 

 

O movimento obteve uma grande repercussão, direcionando-se entre críticas e elogios.  Em contrabalança, também conseguiu uma repercussão negativa, sendo considerado por alguns uma infâmia, e outros gravaram vídeos contra esse movimento

 

Neutralidade Artística

Existem artistas que optam em não se envolverem em decisões relacionadas a política, visando não negativarem suas imagens. Lembrando que boa parte dos artistas que emprestaram sua imagem a políticos e, consequentemente, esses políticos se envolveram em ações duvidosas ou criminosas; os artistas experienciaram críticas ao serem lembrados que defenderam tais estadistas.  Então, alguns preferem não fazerem campanhas a políticos. Outros divergem.

O apresentador da Rede Globo, Luciano Huck,  apoiou  a campanha do Senador , Aécio Neves, candidato à presidência da República, mas perdeu o cargo para Dilma Rousseff; e o fim vocês já sabem.

20100331md0386
(Foto: Marcus Desimoni / Nitro)

O apresentador sofreu perdas em sua imagem, gradativamente, quando o Senador Aécio Neves se envolveu em práticas duvidosas. No entanto, não foi o único artista que apoiou Aécio, tendo havido outros; que apoiaram ambas os candidatos contrários na corrida presidencial em 2014.  Huck afirma que o Senador o decepcionou ao serem apresentados uma série de escândalos envolvendo Aécio.

O Brasil vive um cenário de forte polarização política, logo, os artistas que entram no meio desse caos têm suas imagens abaladas; não por serem corruptas, mas por defenderem pessoas suspeitas, por exemplo, políticos investigados em operações e desdobramentos da Polícia Federal.  Ademais, destaca-se que ideologias também afetam a imagem do artista, considerando que parte da população rejeita as visões de Esquerda e as pautas de reforma da Direita.

A intenção desse artigo não é inibir ao artista, que não defendam seus pensamentos. Caso, o artista, ou intelectual, ou escritor prefiram expor sua visão e emprestar sua imagem a causas sociais ou políticas, façam isso com total direito,pois, garantido na constituição no Art. 5º .

Ressalvo, que além de criticarem as visões antagonistas ao que defendem, ponderem também a visão ao qual fazem parte. Pois nem sempre os nossos grupos estarão certos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s